A garota corajosa e a mulher pacata

 

Eu me pergunto o que aconteceu com aquela garota corajosa que eu era…
 
Era capaz de enfrentar tudo, de fugir, ir contra as pessoas mais importantes da minha vida para seguir e conseguir o que eu queria.
 
Hoje a garota corajosa se transformou em uma mulher pacata.
Eu tinha sede de fazer e acontecer com tudo e todos.
Meus maiores escritos eram incentivos a mim mesma “hey, viva, arrisque, a vida e a juventude não duram pra sempre, então faça!”.
Hoje eu só quero viver do que é meu.

Talvez o fato de ter me ferrado bastante tenha me ensinado que nem tudo é apenas “viver e arriscar”, algumas coisas foram pura e simplesmente irresponsabilidades e a vontade de provar para os outros que eu era capaz de fazer e acontecer.
 
Não sei se o tempo, não sei se a maturidade, mas aprendi que um dos maiores clichês da vida é verdade: aquilo que você mais ama viver e vive de verdade, você vive para si mesmo, não expõe para os outros, não precisa provar nada a ninguém, na verdade não quer que ninguém descubra.
 
Quando alguém chega gritando a vida em alto e bom som eu sou apenas capaz de pensar “poxa, como você deve ser infeliz…”
Minha intenção não é julgar ninguém, mas quando você grita é porque quer muito chamar atenção das pessoas, quer provar para os outros que você é bom, quando, na verdade, não consegue nem provar para si mesmo. É um amontado de medos e solidão.
 
Este é o momento em que eu penso que aquela menina corajosa não era assim tão corajosa.
Era uma garotinha desesperada por atenção e triste, que não sabia quem era e o que queria. 
 
A mulher pacata de hoje é muito mais forte do que a pobre menina corajosa.
A sede de fazer e ser se transformou na vontade de encontrar a felicidade sem fazer barulho e guardar tudo dentro de mim, em minhas muitas lembranças.
E aquele pensamento de “a juventude não dura para sempre” se converteu na ideia de que as irresponsabilidades nos roubam a juventude muito cedo.
 
Não tenha pressa de crescer e mudar, tudo acontece muito naturalmente pra quem sabe encarar a vida.

Comments

comments

Previous Post Next Post

You Might Also Like

No Comments