Feminismo, machismo, slut-shaming, Taylor Swift, etcetera e tal

Já fiz um post falando que sou fã da Taylor Swift e como ela é uma inspiração (você pode lê-lo aqui).
Há algumas semanas, seu namoro com o DJ Calvin Harris chegou ao fim e, toda a internet começou a fazer piadinhas sobre como ela estaria em casa chorando e compondo um novo álbum para o fim do namoro, discutindo novamente sobre quantos namorados ela já teve e etc.

Taylor e Calvin

 

Exata uma semana atrás, a garota apareceu dando a volta por cima e aos beijos com o ator Tom Hiddleston. A internet ficou enlouquecida e, logo, a garota virou trendding topics no twitter, memes, vindo à tona o machismo, as feministas que, ao surgir o nome Taylor Swift, logo dispararam frases machistas e preconceituosas sobre a garota.
 
Então, eu pergunto a você, leitora: o que você faz quando termina o namoro? 
Posso apostar que, a grande maioria, sai para a balada tentando superar o seu ex com outro.
Agora, outra pergunta: se é uma situação tão normal, por que tendemos a julgar tanto a garota e a fazer chacotas em cima de seus relacionamentos?
Porque ela é famosa?
 
Bom, eu, sinceramente, não entendo.
Mas, eu vou tentar colocar algo na cabeça de vocês, começando por ensinar o que é o feminismo.
 
O que é feminismo?
Bom, segundo as minhas pesquisas (porque não quero falar nada errado), o feminismo é um movimento político e social que luta pela igualdade de gêneros.
Ao contrário do que muitos pensam, o feminismo não é o contrário de machismo. O machismo é algo que procura colocar o homem acima da mulher e o feminismo busca a igualdade.
 
O que as feministas buscam, exatamente?
O fim da violência de gênero (como casos de estupro e violência doméstica), igualdade salarial (caso você não saiba, mesmo ocupando o mesmo cargo na mesma empresa, o homem ganha mais do que a mulher, em muitos casos; isso ocorre mesmo na indústria cinematográfica, como o desabafo da atriz Jennifer Lawrence, que você pode lê-lo aqui), buscam também o direito de fazer com a sua vida e o seu corpo o que entenderem ser o melhor (aqui entra a política do aborto), dentre outras coisas.
 
O que a história da Taylor tem a ver com isso?
O problema aqui é a forma como ela é tratada sempre que inicia um relacionamento. As próprias mulheres dizem frases machistas como “ela troca de namorado como quem troca de calcinha” ou “nossa, como ela á vadia, não tem nem um mês que terminou o namoro”. Além disso ser machismo, é um exemplo claro de slut-shaming.
 
O que é slut-shaming?
slut-shaming (slut = vagabunda, shaming = vergonha, envergonhamento) é uma forma de bullying, de humilhar a mulher pela maneira como ela foge dos “padrões” em relação a sua vida sexual.
Ou seja, toda vez que você chama uma mulher de puta pelo seu comportamento sexual, principalmente, você está indo contra o feminismo, que é a igualdade de gêneros, e cometendo o slut-shaming.
 
Isso acontece o tempo todo, todos os dias.
Na sua escola, no seu local de trabalho e etc. 
Porém, com artistas como Taylor Swift, famosa mundialmente, com um sucesso estrondoso, que incomoda até seus namorados (não é mesmo, Calvin?), isso ocorre em dimensões infinitamente maiores e toma uma proporção gigantesca.
 
Será que se o Calvin Harris estivesse sido flagrado aos beijos com uma mulher, o mundo inteiro o estaria chamando de cafajeste e puta?
Eu sou capaz de apostar que não, pois isso tudo é fruto de uma sociedade machista, que aplaude sempre o comportamento do homem e tende a julgar a mulher.

Taylor e Tom: as fotos do frenesi
 
Finalizando, não importa a você ou a mim quantos caras a garota da sua escola, sua vizinha ou sua colega de trabalho namore, não importa com quantos caras ela transe, ou após quanto tempo depois do término de um relacionamento ela se relacionará com alguém novamente. Isso é de interesse exclusivo dela, é apenas mais uma escolha, como tantas outras na vida e deve ser respeitada por quem quer que seja.
Taylor está certa em seguir sua vida e não viver chorando em um quarto escuro por um ano. A vida é curta e não devemos nos deixar levar pelo julgamento daqueles que não sabem o que acontece em nossa vida.

Taylor sendo maravilhosa para a GQ Magazine
Viva o feminismo, viva a mulher, viva Taylor, seus relacionamentos, sua sexualidade e sua música!!!

Para este post, contei com a ajuda da Tyffany.

Comments

comments

Previous Post Next Post

You Might Also Like

No Comments