Pensamentos

Não sou mulher pra casar

Você tá certo, dane-se. Não sou mesmo! Não sou mulher presa, amarrada, sem voz e sem vida. Não fui feita nos padrões criados por você, amor. Não nasci pra ser tua não, nasci pra ser minha. Não existo somente para agradar teus olhos ou aconchegar seu coração. Não quero e nunca quis que você tomasse iniciativa de nada, porque eu sei tomar as rédeas da minha própria confusão, queira você ou não.
Mas você é tão difícil, é tão intensa, te falta carinho, preciso do seu abraço, dos seus olhos e do teu jeito. Você não quer me ver? Que absurdo é esse? Não sente saudades? Mas que mulher é essa que diz querer ser amada e não me deixa amá-la? Sou mulher livre, mulher louca, mulher morrendo de vontade de conquistar o mundo inteiro de uma vez só. Sou mulher que acorda querendo pintar o cabelo de roxo, de azul, de rosa ou todas. Sou mulher que deseja ser amada
sim, mas não por você, querido, por mim. 
Em que mundo você vive? Acha que eu sou seu brinquedinho? Você tem é que agradecer à mim por gostar de você mesmo com todas as suas maluquices. Você não tem o direito de não retribuir, o que você está pensando, menina? Tô pensando nos parques floridos na primavera, na música baixinha que aquele homem ruivo está tocando ali do lado, no sorvete de flocos que eu tô super afim de comer e claro, no filme que eu vi anteontem no sofá chorando. Tô pensando em tudo ao mesmo tempo, ou em nada, mas não te interessa mesmo, interessa? Você sempre preferiu o seu umbigo, que diferença faz eu ir embora saltitando? Te fiz foi um favor, sabia? Percebi antes do tempo que eu era tudo ou nada, início, meio e fim. Que eu SOU o universo inteiro em um corpo só, e que mesmo você jurando me escolher, não sabia que estava escolhendo as estrelas, a lua e os planetas.
 
Realmente, me devolve esse anel, menino! Eu não sou mulher para você, então vai cobrar amor em outra esquina. Procura em outra menina que ainda não tenha percebido o quão grande ela pode ser com ou sem você. Vai, mas me deixa aqui, tá? Porque eu tô feliz para caramba, completa para caramba e com amor para dar e vender! 
 
Vai, porque você tava errado, eu sou mulher para casar sim,mas não com você.
 
Por: 

 

Deborah Sequeira (Fanpage, FacebookInstagramTwitter), 19 anos de muita história para contar, autora do blog DuzentasLinhas, residente do país das maravilhas e escritora nas horas vagas – nas outras também. Geminiana, sonhadora, avoada, estudante de psicologia, especialista em matérias impossíveis e completamente apaixonada por pessoas, flores e tudo que há de belo no mundo. Acredita em fadas, sereias e em um amor que cura todos os males. Colunista em: Isabela Freitas

Comments

comments

You Might Also Like

No Comments

Comente