Contos e Crônicas

Lembro de como você quebrou meu coração sem ao menos dizer “adeus”.

Acredito que a essa hora, apesar de tão cedo, você já esteja pensando em dormir.
Tentando se recuperar de uma longa semana exaustiva no trabalho.
Seria capaz de jurar que está com o ar-condicionado ligado e com aquela velha calça preta, apesar do calor, andando descalço pelo corredor perguntando por que eu desapareci.
 
Eu gostaria que você soubesse
Que todas as vezes em que olho sua foto, 
Reúno todas as forças do mundo para não atender as suas ligações
E que toda vez que não o faço
Eu morro por dentro.
 
Você deve estar se perguntando se eu estou saindo com outras pessoas,
Se eu te superei.
Mas a verdade é que tenho fugido por medo de me jogar nos seus braços e te perder.
Não aguentaria olhar você escorrer por entre meus dedos.
Não novamente.
 
Fomos o porto seguro um do outro,
Mas você bagunçou tudo quando se recolheu nas suas dores e me deixou de fora.
O amor só sobrevive quando aprendemos a compartilhar:
Medos.
Dores.
Rancores.
 
Confesso que ainda sonho com você quase todas as noites
E apesar de dizer que sou tão importante para você,
Eu acordo mergulhada em uma rede de distanciamento.
 
Tudo o que eu sei é que
Não aguentaria ver você me deixando de fora de tudo 
E se afogando em sua solidão.
 
Então todas as vezes em que eu penso em atender suas ligações
Eu só me lembro de como você quebrou meu coração sem ao menos dizer “adeus”.

Comments

comments

You Might Also Like

No Comments

Comente