Não categorizado

Tempo perdido

Você me olha de longe
Da janela embaçada
Através dos cacos que restaram.

Me olha com olhos desconfiados
Ternos,
Quase fechados.
O sono lhe cobre o sorriso.

E os mimos que preparou se desfaz na poeira do tempo
Vento que sopra o ar de uma menina que sempre foi muito mulher.


Descasos do mundo que separa seu olhar dos meus desejos
Acasos do universo que brinca de escrever versos com nossos pensamentos,
Sentimentos,
Tormentos de duas almas distantes,

Equidistantes
Semelhantes
Quase constantes
Na arte de serem amantes.

E a janela que separa duas vidas já não vive
Já não embaça
Não molha com a chuva
Nem difrata o sol do meio dia.

Essa janela, testemunha do que acontecia
Hoje não mais fala nem ouve
Não sabe o que houve
Envelheceu
Ficou caduca e adquiriu todas essas doenças da idade.

Essa janela distorcida de meias verdades
Significados que passaram, mas que hoje destoam da realidade
Não há mais necessidade,
E só seus olhos através dessa janela
Que não mais enxerga o tempo perdido
Dos dias idos
Que nunca voltaram pra brincar nos nossos lábios.


Por: Noyuke
Leia mais em: Entre Noys

Comments

comments

You Might Also Like

No Comments

Comente