A minha neurose mora em olhos castanhos

nuy

A minha neurose mais bela se encontra morando
Em olhos castanhos
Estranhos e despercebidos
Embebidos na noite
Escondido entre gritos e sorrisos
Perdidos
[Na noite tudo fica meio perdido]
Quase castigo meu
Eu aí contigo
Sem saber o que fazer pra me encontrar de novo.

E você sente nas tardes vazias de todos os dias
Uma saudade nativa e compassiva
Dos meus desejos que foram morar dentro de ti,
E mesmo longe não consigo carregar no peito.

Meu coração meio sem jeito
Que insiste em bombear sangue,
Motor de quase arranque,
Que não leva mais a lugar nenhum.

E aí as cenas passam voando na tela da minha vida
Os becos sem saída que me meti só pra te encontrar,
As palavras pichadas que li
Os versos que repeti
As coisas mais torpes que escrevi
Só pra um dia te encontrar.

Enquanto os corpos vão vagando em outros corpos
Minha alma já não descansa
A buscar a tua pele entre tantas
E o teu cheiro que até ontem sabia bem qual era e,
Agora,
Me fugiu da cabeça por um minuto.

Espera que vou me lembrar
Do olhar que me jogou naquele dia em pleno ar
No meio da multidão escondida na própria solidão.

Foram nossos olhos que decidiram se encontrar,
Mesmo escuro
Mesmo barulho
Mesmo pulsar.

Leia mais em Entre Noys

Comments

comments

Previous Post Next Post

You Might Also Like

No Comments