MEDO BABACA

“Ei você, que se alojou nos meus olhos e na minha boca, por que não tá aqui? A cama tá reclamando, a casa te chamando vem logo me ver. Tô te esperando entrar, não precisa bater que eu esqueci de me trancar.”

3a9a00b8bd51a92276fef46b3f8d90b0-1

Eu esperava me machucar, tinha algumas latas de leite condensado guardadas. Eu sabia que ia sofrer e precisar de brigadeiro. Planejei alguns encontros com você, quando as datas coincidiam com as minhas amigas na cidade. Eu sabia que você ia me machucar e eu precisaria das minhas amigas e brigadeiro por perto.

Eu achei tanto defeito em você, que eu não me permiti gostar. Um sorriso bobo surgia quando recebia mensagens de bom dia, mas logo analisava as mensagens procurando erros de português. No momento não me recordo de nenhum erro seu, apenas meus; não em relação ao português.

Meu erro foi não ter me permitido ser eu mesma perto de você, com medo de você fugir. Meu erro foi não ter contado o quanto te queria por perto, por medo de assumir uma necessidade que eu não estava preparada para lidar. Eu errei em presumir que você iria me machucar, você foi tão íntegro e verdadeiro… Muito mais do que eu. Eu fingia não me importar, mas calculava cada passo e palavra minha na sua presença, tomando o cuidado de não ser transparente. Enquanto admirava seu jeito, a maldita barba, o sorriso fácil, e as linhas de expressão perto dos olhos.

No fim você não me machucou, eu fiz isso sozinha. Não estou sofrendo nem comendo brigadeiro, só estou irritada comigo mesma de não ter feito o que eu queria por medo de me machucar. Acredito que mais valia estar assistindo Breakfast at Tiffany’s (ou Bonequinha de Luxo, em português), afogada em uma panela de brigadeiro e soluçando no ombro das minhas amigas, do que essa sensação de impotência que está por aqui.

Você encontrou uma mulher que foi sincera em relação aos desejos dela e que não teve medo de apostar em você. Hoje ela adormece no seu peito e é o motivo desse sorriso bobo que eu vejo em você. No fim que não era pra ser, eu ainda tenho muito cara babaca para conhecer, mas fica tranquilo você não foi um deles.

De uma forma despretensiosa aprendi algo nesses últimos meses, entre suas mensagens e o riso fácil que eu tinha ao seu lado. Aprendi a deixar o medo de lado, esse maldito medo que nos impede de grandes feitos, não vou me policiar sobre gestos palavras ou sentimentos, vou falar o que eu quero e espero dos outros. A realidade é que a felicidade está na nossa frente, basta ter coragem de dar o próximo passo.

Eu admito não saber suas verdadeiras intenções, mas sei que foram as melhores possíveis. Obrigada pelas risadas, gargalhadas, cervejas e principalmente pelo ensinamento. A vida tem dessas coisas não é mesmo? Não tive a oportunidade de contar que O Pequeno Príncipe é o meu livro favorito, mas aquele loirinho curioso há muitos anos atrás já havia me ensinado que ninguém sai de nossas vidas sem deixar um pouco de si, então fica o agradecimento pelo pouco de ti que ficou por aqui.

Comments

comments

Previous Post Next Post

You Might Also Like

1 Comment

  • Reply Gorete 10 de novembro de 2016 at 18:51

    Lindo.sucesso.