Pensamentos

Marquei o dia do nosso término

“Meu coração gritava alto: não espera pelo dia 31, você está me fazendo sofrer, está doendo!”

85b3af546e5637625ee279373e8bacdd

31 de maio, já havia planejado tudo.

Há 20 dias atrás marquei o dia do nosso término, dia 31, tinha que ser o dia 31.
Já não estava aguentando mais tanto desprezo. Mesmo eu tendo me esforçado para mudar o quadro do relacionamento, mesmo eu sendo a melhor parte de mim.

Mas porquê dia 31?

Vamos lá, dia 31 era o dia certo, tudo pensado, poucos dias antes do dia dos namorados – para não falarem que acabei depois que ganhei presente. Além disso, era final de um mês, já deixava o amor para trás junto de um mês atordoado. Ademais, 20 dias era o tempo ideal para eu me preparar para esse acontecimento.

Enfim, dia 31 era O DIA!
Pois bem, assim o fiz, me preparei cuidadosamente para isso, dei o melhor de mim, amei, me entreguei de verdade, quis saber até aonde ia. Queria saber se eu desistiria dessa ideia louca de te deixar no dia 31, justo nesse dia…

Ele sempre me colocava em últimos planos, me botava para trás.
Me botava para trás porque ninguém disse a ele que a punhalada vem pelas costas!

A cada dia que passava eu tinha mais certeza que te deixar seria a melhor opção.
Meu coração gritava alto: não espera pelo dia 31, você está me fazendo sofrer, está doendo!!
Ah, coraçãozinho tolo… Melhor esperar por esse dia, do que nos precipitarmos e fazermos tudo sem pensar.

Eu havia planejado tudo, estava tudo no papel, todo santo dia eu escrevia: pode terminar, é isso que você quer.

Então, planejei, pensei, imaginei minha vida sem ele e como seria difícil depois dessa tão esperada data. Chegando o dia, eu soube: o amor não tem planejamento! Prometi que não ia chorar, mas eu me derramei em lágrimas. Sabia que ia doer, como uma ferida. Mas doeu como uma morte. Por que dia 31? Por quê?

No mês seguinte, sofri menos do que o mês passado – quando eu esperava ansiosamente pelo dia que eu iria acabar com quem me fazia chorar todo dia.

Eu tinha a certeza que aquilo que eu estava fazendo era o que eu queria. Mas por que eu planejei o dia 31? Eu deveria ter planejado o depois do dia 31, o que eu iria fazer depois que eu te deixasse? Fiquei perdida. Eu acabei planejando o dia errado.
Sabe? Aprendi outra coisa: a vida também não tem planejamento. No próximo mês já não havia mais como me arrepender de algo que eu tive a certeza que foi o melhor para mim

Sabe, dia 31?
Mesmo você só aparecendo em 7 meses do ano, eu vou lembrar de você todo mês, como o dia em que, mesmo que sofrido, renovei a minha alma.

No próximo do próximo mês seguinte, já em agosto, o dia 31 era só uma lembrança de algo que ficou para trás, não mais importante que meu amor próprio, não mais importante que o meu bem estar.

Comments

comments

You Might Also Like

No Comments

Comente