Livros/Frases

Resenha – Sangue na Neve

9788581632285-jpg-1000x1353_q85_crop

A policial Tessa Leoni matou seu marido, Brian Darby, em legítima defesa. A arma do crime está à vista de todos e os hematomas no corpo de Tessa confirmam a ocorrência. A policial também não fez questão de fugir, ou de arrumar qualquer justificativa para explicar aquele corpo estendido no chão da cozinha, portanto, aparentemente, o que a investigadora D.D.Warren tem à sua frente é o desfecho de uma briga doméstica. Um caso simples. No entanto, ao abrir o inquérito, D. D. terá uma surpresa: este não é o primeiro homicídio de Tessa Leoni e — afinal — onde está a filhinha de seis anos da policial? Será que a policial Leoni realmente atirou em seu marido para matá-lo? Uma mãe seria capaz de prejudicar intencionalmente sua filha? D. D. Warren, a experiente detetive que acredita que desvendar um caso é como mergulhar na vida do criminoso, enfrentará mais uma investigação que a levará a uma busca frenética por uma criança desaparecida enquanto tenta encaixar as peças de um mistério familiar que a levará a quebrar os muros do corporativismo policial.

Quem você ama? Amei, amei, amei o livro! Amei a capa (simples, mas de acordo); amei o excelente trabalho gráfico da Novo Conceito; amei o livro do começo ao fim e, principalmente, a oportunidade de ler outro maravilhoso livro de Lisa Gardner.

Sangue na Neve é o melhor thriller policial de 2013. Sem a menor sombra de dúvida. Esse é o quinto livro de uma série de seis volumes protagonizados pela detetive de homicídios de Boston, D.D.Warren. O primeiro livro, Alone, foi publicado em 2005, e ainda encontra-se inédito aqui no Brasil. Foi seguido pelos volumes Hide (2007), The Neighbor (2009). Viva para Contar (Live to Tell / 2010), foi publicado no ano passado pela Novo Conceito, e é o quarto volume. O sexto chama-se Catch Me, publicado em 2012 nos Estados Unidos. Lembrando bem que os livros não são continuação um dos outros, podendo ser lidos separadamente.
Lisa Gardner também escreveu uma série de livros policiais intitulados FBI Profiler Series,num total de seis livros publicados originalmente de 1998 à 2008. Ela também publicou vários livros com o pseudônimo de Alicia Scott, de 1992 à 2000, e alguns livros avulsos, não-seriado, com o nome atual.
Viva para Contar causou em mim uma admiração muito grande por Lisa Gardner. Fiquei profundamente maravilhada com a escrita precisa e envolvente da autora. Sua narrativa impecável nos enrodilha na trama e nos arrasta do começo ao fim, mantendo sempre em nossas mentes a necessidade, ou a fome, de encontrarmos a resposta para o mistério que envolve os seus personagens. Somos mais do que convidados a participar da trama de seus livros. Tornamo-nos seus prisioneiros, incondicionalmente. Assim, quando nos damos conta, não conseguimos parar de ler enquanto a última página não for terminada. E mesmo depois, ficamos com aquele desejo insaciável de quero mais.
Ainda bem que a editora não deixou por menos. Trouxe-nos esse maravilhoso Sangue na Neve, com muito suspense e reviravoltas a cada novo capítulo.
Uma vez mais temos a incansável detetive D.D. Warren às voltas com um homicídio que promete abalar a comunidade policial de Boston. A criminosa é uma policial, Tessa Leoni. A vítima, o marido, Brian Darby. A criança desaparecida, é filha de Tessa. Já no prólogo temos Tessa perpetrando o homicídio, com Darby morto e Sophie, a filha, desaparecida. Mas não pense que pelo fato de sabermos quem é o assassino torna a narrativa desprovida de suspense. Não, muito pelo contrário. Gardner cria uma sucessão de fatos e eventos que nos fazer ir e vir o tempo todo, como numa gangorra, entre dois pontos de vista: no de Tessa Leoni, em primeira pessoa, e no de D.D. Warren, narrado em terceira pessoa. Cada novo capítulo nos trazem um ponto de vista determinado, e um novo aspecto da trama. A cada página, os fatos e eventos vão ganhando novos contornos e acréscimos, o que nos obriga a mudar de opinião acerca do ocorrido a cada nova leitura.
Amor, paixão, ódio, traição, ilusão, fé, perseverança, ousadia. São alguns dos elementos que destaco neste livro. Você pode amar ou odiar Tessa Leoni; simpatizar-se com D.D. Warren, ou achá-la arrogante demais; apiedar-se do fim trágico de Brian Darby, ou achar que ele teve o fim que mereceu; sofrer com o desaparecimento de Sophie Leoni e exasperar-se com a busca frenética pelo paradeiro da menina. Não importa o que você sinta ou pensa a respeito disso ou daquilo no livro porque a sua opinião, ao término do livro, não será a mesma da do começo. Sangue na Neve vai mexer com você.
Com isso, só quero acrescentar que Lisa Gardner – e que me me perdoem os que vão discordar de mim -, é a Agatha Christie do momento. E tenho a destacar a excelente narrativa de Lisa; a incansável D.D. Warren e a surpreendente Tessa Leoni; ótimo suspense; reviravoltas que nos atordoam do começo ao fim do livro; o final à altura de um bom romance policial.
Uma vez mais, Gardner e seu fabuloso Sangue na Neve é leitura mais que obrigatória para os apaixonados por suspense e por thrillers policiais. Também não devem ficar de fora os leitores que procuram uma ótima leitura de cabeceira. Simplesmente imperdível!
 
Tudo o que eu quero de Natal são os meus dois dentes da frente, os meus dois dentes da frente, os meus dois dentes…
Resenha por: Livy do Blog Mundo dos Livros, não deixem de visitar o blog!

Comments

comments

You Might Also Like

No Comments

Comente