Superação

Desculpe, mas isso é um adeus

“Quanto mais eu despia minha alma, mais você se vestia de indiferença.”

seguir-em-frente

Não vou tentar te convencer que foi de repente e que eu não estava pensando nisso há algum tempo. Seria hipocrisia dizer que, quando eu menos percebi, você já não era tão importante. A verdade é que eu não suportava mais. Outro dia, li que aceitamos o amor que achamos merecer e, desculpa, não acho que eu mereça tão pouco.

Abracei com força a esperança da sua melhora. Em vão. Em pensar que você sempre foi a pessoa que eu quis, a minha idealização. Desculpa mesmo te pegar de surpresa. É que no fundo eu acreditava em nós dois. Sei que você não vai entender, mas eu não vou mudar de ideia, pois já venho pensando nisso e acredito que seja o melhor a se fazer.

E sim, eu te culpo. Culpo você pelas vezes que esperei uma resposta no whatsapp, uma atenção maior enquanto conversávamos, um carinho enquanto estávamos a sós, uma conversa sincera, um olhar acolhedor. Culpo você pela indiferença, descaso, omissão, pelos planos não traçados e pela sua passividade em deixar tudo para depois.

Não diga que não lhe dei sinais. Diga que você não soube identificá-los. Marcava seu perfil em um vídeo no Facebook, contendo uma música legal. Enviava um link de um filme que tinha estreado, sugerindo quem sabe um cinema, um filme em casa regado a pipoca e muito brigadeiro. Desdobrava-me para lhe acompanhar aos lugares importantes e fazia a boa moça. Quanto mais eu despia minha alma, mais você se vestia de indiferença. Você me entregava presentes, quando o que eu mais queria era sua companhia, sua presença por inteiro.

Aposto que você não tem a mínima ideia do quanto eu me esforcei para fazer isso dar certo, mas, quando um não quer… Não adianta mais empurrar com a barriga. Dediquei tanto tempo a você, que comecei a esquecer de mim. E então pensava que isso era normal. Morei tanto tempo em você, que hoje entendo a demora que levei para começar a te esquecer.

Por ser intensa não consigo viver meio termo, meio amor, meia vida. E mesmo sabendo o quanto isso é ruim, eu sou assim, tenho um coração profundo. Só que hoje é o dia que eu quero te ver partir. Hoje foi a última vez que me permiti viver essas coisas ao seu lado. Levei um tempo para aceitar que precisava ir embora, mas agora eu não vejo a hora. E, que engraçado. Em nossa relação você sempre foi o apressado. Tudo o que eu lhe disse é para que você tenha certeza da minha certeza. Para quando lhe perguntarem lá fora, você saiba dizer o motivo do nosso término, o que nos fez chegar aqui.

Enfim, não quero mesmo que você fique mal, mas, também não quero que fique mais. E sem essa de “seremos bons amigos”, afinal, nunca fomos isso. A minha vida? Ela vai seguir. E eu ainda tenho que te agradecer por me acordar para realidade, por me mostrar o quanto a vida pode ser bela e de fato ela é. O quanto não preciso me prender em amores que não são recíprocos. Agora eu já vou, tenho uma vida inteira pra viver e a parte boa é que nela não tem você.

Comments

comments

You Might Also Like

No Comments

Comente