Tinderela

 

tinderela

Ela. Cinderela. Tinderela. Rafaela. Poderia ser você ou eu, mas é a Rafaela. Uma enfermeira no Hospital Beneficiência Portuguesa, que seguia como tantas de nós a sua rotina em modo automático, exaurida. Sem tempo para o amor (?!) ou pelo menos sem tempo para buscá-lo por aí. É quando, durante um plantão na Unidade de Terapia Intensiva Neonatal, observa a amiga fisioterapeuta Mariana sorrindo enquanto mexe no celular. Era o Tinder.

Quem aí como elas só pensa em trabalho e mal tem tempo de checar as redes sociais? Depois de ver a Mariana se divertindo, Rafaela decide perguntar à amiga médica cardiologista Guilhermina, divorciada, 52 anos, o que acha do aplicativo e, curiosamente, também vislumbra no Tinder uma alternativa aos jogos românticos.

Depois de pensar, a própria Rafaela arrisca criar um perfil e inicia uma busca pra lá de divertida. Engraçada para nós leitores, porque para a Rafaela muitos encontros são um verdadeiro suplício.

Tem sempre aquele em que o beijo simplesmente não bate.

“Ela deveria se sentir feliz já que finalmente tinha acabado o período de estiagem, mas não sentiu “a química” rolando. Talvez devesse dar tempo ao tempo, eles ainda estavam se conhecendo e era necessário um período de ajuste, todo casal passa por isso. Ao menos era disso que ela tentava se convencer.”

Nas conversas com as amigas, também surge o papo sobre o Tinder e a tão temida pergunta:

“Onde foi que vocês se conheceram? – Suzane pergunta e Rafaela sente a cadeira afundar no chão alguns centímetros.”

Há também o episódio do rapaz que diz que vai viajar e simplesmente posta uma foto no Facebook com a seguinte legenda: “Reencontrando meu amor depois de dois meses separados”. Assim como ele, há muitos verdadeiros caras de pau na internet e fora dela.

É, não está fácil para a Rafaela. O conto de R. M. Cordeiro traz muitas histórias divertidas. Todas baseadas em pessoas e fatos reais. Para os que quiserem conferir, a obra está disponível na Amazon. Quem quiser mais informações, pode mandar um e-mail para contatoblogdagih@gmail.com ou conversar com a autora no Facebook RM Cordeiro.

Comments

comments

Previous Post Next Post

You Might Also Like

No Comments