O que ser quando crescer?

b83f8ba77739914c83d2ec7d43d00181

Eu não sei o que quero ser quando crescer.
Apesar de bem grandinha, isso ainda não está definido dentro de mim.
Na verdade, a cada dia que passa, parece que essa questão se torna ainda mais assustadora e mutante.

Um tempo atrás, acreditava que quando estivesse perto dos 25 anos, já saberia quem sou e seria quem eu queria.
Naquela época eu também achava que sabia o que queria fazer, quem queria ser.
Eu tinha um plano.
Eu era decidida.

Mas aí, os 24 chegaram e eu ainda não tenho certeza de nada.
Já quis ser tantas coisas nos últimos anos….
Já quis começar uma nova faculdade, seguir um sonho de uma carreira meia boca, que não pagaria minhas contas, mas me faria feliz.
Quis seguir pelo dinheiro e encontrar um jeito alternativo de ser feliz.
Nada ainda deu certo.

Quando eu era criança, queria ser pediatra.
Na adolescência, por um espírito muito voraz, tinha certeza que seria advogada.
Na época do vestibular me deu vontade de fazer jornalismo, porque me descobri dentro de redações, leituras e escritas.
Durante a faculdade de Direito, pensei que poderia ser psicóloga.

As coisas mudaram muito do início dos meus sonhos, mas se tem uma coisa que não mudou, foi a minha incerteza.
Crescer não mudou o fato de que não sei quem sou e que descubro diariamente comigo mesma, com as minhas crises, inseguranças e medos.

Vejo alguns amigos no Facebook e Instagram tão decididos quanto a vida e carreira, com objetivos claros, tendo a certeza do que fazer para sempre.
Mas, e eu?
Talvez eu tenha perdido o gene das pessoas que crescem, visualizam uma meta e simplesmente seguem a todo custo.

Me perdi em meados do fim da adolescência para o começo da vida adulta.
Ainda tenho vários sonhos, porém todos são turvos demais para que eu consiga defini-los.
Vivo em um turbilhão de incertezas, com uma sensação de que a vida vem me engolindo, sem me ensinar direito a respirar no meio dessa confusão.

Apesar dos pesares, não posso dizer que crescer tem sido em vão.
Eu tenho aprendido, observado e, principalmente, amadurecido.
Andei aprendendo com meus erros e o que, definitivamente, não quero ser.
Talvez saber o que e quem não quero ser já seja um legado para deixar e uma certeza a ter.
Talvez eu esteja apenas começando a me definir sem nem mesmo perceber…

Comments

comments

Previous Post Next Post

You Might Also Like

No Comments