Sobre a culpa

CULPA

“Culpa, substantivo feminino: responsabilidade por dano, mal, desastre causado a outrem.”

Se eu soubesse antes como lidava de forma errado com ela, talvez eu tivesse tirado um proveito melhor de mim mesmo, mais cedo.

“Culpa,  do ponto de vista psicanalítico: é a frustração causada pela distância entre o que não fomos e a imagem criada pelo superego daquilo que achamos que deveríamos ter sido.”

Acho que falar sobre culpa e deixar de falar sobre felicidade, seria algo como fazer uma pizza sem molho de tomate. As duas são como irmãs briguentas vivendo dentro da nossa cabeça. Então, antes de falar sobre culpa, vamos dar uma passo atrás e falar sobre a danada da felicidade. Ela não é, ao contrário do que parece, durável. Pelo contrário, é um animal bem arrisco. A felicidade é aquele bolo gostoso que estraga depois de um tempo na geladeira, aquele café especial que esfria rápido demais, aquele abraço apertado em quem a gente gosta antes de ir embora. Sim, é assim mesmo, as vezes não dá nem tempo de tirar uma foto para colocar no Instagram.

Um dia me disseram

E isso é normal. Ninguém é feliz o tempo todo, ninguém tem o melhor emprego do mundo, ninguém está sempre saudável e ninguém tem dias de verão intermináveis. Se você é uma dessas pobres criaturas que as vezes sente-se culpado por não ser tão feliz quanto os outros, pode parar. Vou te contar um segredo, a vida deles não é tão perfeita assim. Aquela foto maravilhosa que dura alguns segundos, pode ser apenas um suspiro em um dia ruim.

A gente faz besteira o tempo todo. A gente interpreta mal, julga, derrama café na mesa e fala o que não devia falar. Mas isso também é normal. Afinal, é difícil saber o que é certo ou errado antes de tentar. Digo, não me leve ao pé da letra, matar alguém é sempre ruim, mesmo você não tendo feito isso ainda. É muito provável que você vá descobrir quem você não é, antes de quem você é.

A culpa ajuda muito pouco nesse processo. A culpa não te torna melhor, a culpa não muda sua vida. O engraçado é que a gente aprendeu isso muito bem quando era pequeno. Enfiar o dedinho na tomada não foi uma boa ideia não é? Mas tudo bem, o importante é não fazer isso de novo. Ou você acha que uma criança pequena fica duas noites sem dormir pensando no maldito momento que ela achou quer seria legal pra caramba colocar os dedos nos dois buraquinhos na parede?

Vou te falar outra coisa, que é bem ruim. Levar um choque dói só um pouquinho, mas perder algumas pessoas dói bastante. Sim, você fez algumas coisas erradas que fizeram elas irem embora. É uma droga não é? E machuca pra caramba. Mas acontece, com todo mundo, o tempo todo. Por que a gente nasce e morre aprendendo alguma coisa. Quem não percebe isso está sendo um pouco cego a respeito.

Então o que podemos fazer um a respeito?

Ser um pouco melhor todo dia, só isso. Não repetir os mesmos erros. Abraçar nossos demônios, os piores, bem forte. Vai ficar tudo bem, você não me assusta mais. Sempre há tempo de tentar de novo. Somos todos humanos quebrados, seres complicados, cada qual a sua maneira. E veja bem, existe outra coisa ainda. Talvez a culpa nem foi sua.

E o que vamos nos tornar?

Não importa o que a vida fez de você, mas o que você faz com o que a vida fez de você“. Jean Paul Sartre.

Se você não gostar de Sartre, eu tenho outra referência para você:

A cicatrizes dessa vida são parte da gente. E isso é bom. Nos faz mais empáticos, mais serenos. Não endureça demais. Não se esconda com medo de se machucar. Você vai deixar passar um monte de sentimento bons. Aproveite para ter paz quando não der certo. Afinal, acontece o tempo todo não é? Vai dar errado, muitas vezes, vamos tirar alguma coisa de bom disso.

“O sucesso é ir de fracasso em fracasso sem perder o entusiasmo”  Winston Churchill

Existe uma falsa impressão que as pessoas acertam de primeira. Algumas pessoas só resolveram errar logo de uma vez. Tudo bem, essa primeira receita que eu fiz aqui, que parecia maravilhosa e fácil, nem o cachorro quis comer. Mas é a vida, a segunda vai ficar um pouco melhor. Nenhuma mudança acontece da noite para o dia. Também não se culpe se demorar um pouco para se encontrar. Tem gente que leva bastante tempo.

A gente só acha que sabe das coisas, não sabe porcaria nenhuma. Metade dos pensadores voltariam dos túmulos para nos dar um tampa na cara se fosse possível. Senta ali, vou te contar uma história, diriam eles.

E se no final disso tudo pouca coisa fizer sentido. Só me escuta quando eu digo: não se culpe tanto. Que tal você tentar fazer alguma coisa nova? Talvez existe algo em você que nem você conhece ainda, vai por mim!

Comments

comments

Previous Post Next Post

You Might Also Like

No Comments