Contos e Crônicas

AGORA ELA ESTÁ BEM

Ela era infeliz com ele, ele fingia ser feliz com ela. Irônico, eu sei, mas isso realmente aconteceu, não só uma vez. Duas, três, quatro, cinco, seis vezes até… até que eles pararam de agir como duas palmeiras vizinhas. Aliás, eles realmente pareciam essas árvores, só que, vez ou outra, ele tinha suas irritações.

Eles dividiam o mesmo sol, mesmo que os raios dessa estrela gigante e quente fizessem Ela brilhar mais, dando-lhe vigor. Ele, com inveja, não sabia aproveitar a luz que também recebia. Nos fins de tarde, quando o sol desaparecia, Ele ficava amoroso com Ela, na intenção de ter o seu ego inflado.

Mas em todo início de noite, a lua aparece, e quando isso acontecia, Ele voltava a sentir inveja da sua parceira. Isso porque a lua iluminava Ela com mais intensidade e favoritismo. Ela não tinha culpa, porém, Ele achava que Ela era uma ladra de atenções.

Os ventos do céu a deixavam mais imponente, com suas folhas dançando alegres. Já as folhas Dele, queriam se mexer em sintonia, mas eram impedidas pelo peso dos sentimentos ruins Dele. E Ele não percebia o quanto isso o fazia mal. Ele ficou cada vez mais cego, enquanto Ela só crescia e florescia a cada dia, cada verão, cada estação. Ela nutria em si o amor, a alegria, o otimismo, mesmo que Ele a menosprezasse.

Numa noite de chuva, ele a humilhou, gritou e cuspiu palavras com nojo em cima Dela. As gotas de água caíam nos dois, e Ela, pensativa, decidiu ir embora, deixando que a água lhe deixasse purificada e forte para a sua nova jornada, agora sozinha. Ela nunca precisou Dele, e teve a certeza disso quando viu o sol, a lua, o ar e o solo fértil indo atrás de seus passos, pois não importa onde se esteja, quem sente boas emoções no coração, fica bem em qualquer lugar.

Comments

comments

You Might Also Like

No Comments

Comente