Música

Indicação Musical: Lenny Kravitz

Olá, galerinha!

Hoje não vai ter textinho bonitinho, nem coisinhas fofinhas. O post de hoje é uma indicação super hot (em todos os sentidos, amém) sobre um dos grandes nomes da música americana (eu acho, quem não acha, problema), herdeiro musical do Prince (amém), sex symbol e um dos meus cantores favoritos: Lenny Kravitz.

Chega mais, pode vir, o negócio vai ser bom hoje.

Leonard Albert Kravitz, ou Lenny Kravitz pros mais chegados, é um cantor, multi-instrumentista, produtor, ator, decorador, paizão, lindo, maravilhoso, homão da porra americano que está por aí tornando o mundo melhor desde 1964 (que saúde!). Filho de uma atriz e de um produtor, Lennyzito sempre adorou música e procurou aprender sozinho o máximo possível, tendo começado a tocar bateria e violão com 5 anos de idade (coisa que eu não sei até hoje, no auge dos 21 anos). O cara tem no currículo 11 álbuns (sendo 1 Greatest Hits), 4 Grammys, 1 BRIT Award, além de ter atuado em alguns filmes. Tá bom pra vocês? E o melhor: nem pensa em parar. Eu, por outro lado, já to pensando na minha aposentadoria (que eu nem sei se vai sair, do jeito que tá crítica social foda), mas graças a Deus que o post não é pra falar sobre mim.

Namorador que só ele, Lenny foi casado com a atriz Lisa Bonet (que hoje em dia está casada com Jason Momoa, o Khal Drago de GOT e Aquaman na Liga da Justiça. Não é fraca não, a moça), com quem teve a filha, Zoe Kravitz (que também é atriz. Você já viu a carinha dela em X-Men: Primeira Classe e na Trilogia Divergente). Mas, além disso, já namorou mulherões como Adriana Lima, Nicole Kidman, Naomi Campbell, etc etc. Só faltou eu. Essas são as horas que a gente canta um Leoni: POR QUE NÃO EU, AAAAH, POR QUE NÃO EU?

Lisa, Lenny e Zoe. Que família linda <3

Falando sobre música, não foi nada fácil fazer a seleção de músicas pra esse post, porque o homem só tem hino e eu sei que se colocasse tudo, eu precisaria fazer uma parte 2. Procurei selecionar algumas das minhas favoritas dentre as mais conhecidas. Acomodem-se, coloquem os fones e curtam alguns dos maiores hits do Leonard:

It Ain’t Over ‘til It’s Over (1991)

Faixa do segundo álbum do cantor, Mama Said, podemos dizer que esse é um dos maiores hinos da carreira dele. É aquela música que você bota pra tocar e quando vê, tá cantarolando, porque ela é super simples e tem uma melodia muito gostosinha. Essa é uma das canções mais famosas dele (se você não conhece, vai conhecer agora), toca muito nas rádios da vida até hoje. Sucesso absoluto, foi sua primeira canção a entrar no top 10 da Billboard Hot 100. Aqui nas nossas terras, fez parte da trilha sonora da novela Vamp.

So many tears I crieeeed… Vocês continuam, vai!

Are You Gonna Go My Way (1993)

Mais um hino atemporal que leva o nome do álbum de origem. AYGGMY rendeu duas indicações ao Grammy (Melhor canção de Rock e Melhor performance vocal de Rock) e uma vitória no MTV Music Awards de Melhor artista masculino. A música ganhou certificado de diamante aqui no Brasil, inclusive. É muito poder, você quer @? Eu particularmente gosto dessa faixa pela pegada meio Jimi Hendrix (há quem na internet que diga que o Lenny é um Jimi wannabe, que Deus perdoe essas pessoas ruins), super agitada e dançante. Boa pra bater cabelo, também. Eu já tentei. O pescoço doeu, mas valeu à pena.

RE dangerXPEITA O LENNYZÃO DA MASSA, RAPÁ!

Fly Away (1998)

Impossível falar de Lenny Kravitz e não mencionar “Fly Away”. Sem sombra de dúvidas, é um de seus maiores êxitos. Foi a primeira música dele que escutei, quando ainda era um projeto de pirralha. Essa música foi um marco no fim dos anos 90 e início dos 2000, lembro de ter ouvido muito essa música nas rádios na época (tempo bom que, infelizmente, não volta mais). Vale destacar que Lenny venceu o grammy (quando essa premiação ainda tinha alguma credibilidade) na categoria de Melhor performance masculina de Rock com esse hino, em 1999.

Música boa pra dar uma sarrada curtir numa festinha, né mesmo?

American Woman (1999)

É um cover (a versão original é de 1970, de uma banda canadense chamada The Guess Who), gravado especialmente para o filme Austin Powers: O Agente Bond Cama, lançado no mesmo ano. A atriz Heather Graham, que atua no filme, faz uma participação no music video. Com essa música, Lenny faturou mais um grammy, de Melhor performance masculina.

Reza a lenda que a música original é uma crítica social foda aos Estados Unidos e suas políticas, mas a versão do Lenny tá mais pra um “mulher, fica longe, mas se quiser, pode ficar por perto sim”, a Heather tava algo meio “femme fatale” e essas coisas. Isso é bem condizente com o universo Austin Powers, na verdade. Quem conhece, sabe.

Again (2000)

Again foi o single de divulgação do Greatest Hits do Lenny e um dos mais bem sucedidos de sua carreira. Com esse hino, ele faturou o terceiro grammy (Melhor performance vocal masculina), em 2001. Foi outra música que a gente ouviu por aqui até cansar (mas não cansamos), porque fazia parte da trilha sonora de “Um Anjo Caiu do Céu” (eu tinha esse cd, socorro, to velha!).

Rapaz, o que falar dessa música? Sempre me arrepio quando ouço, juro pra vocês. Eu particularmente acho que ela mexe muito com quem já teve aquele lancinho no passado e não esqueceu o/a @… Acontece, né? Comigo, mais do que eu gostaria.

Agora, o clipe… Assistam e tirem suas próprias conclusões:

~~Meninas, atenção entre 1:20 e 1:34. Cês vão me agradecer depois.~~

Todo mundo vivo? Todo mundo bem? Podemos prosseguir? Ok, vamos nessa.

Calling All Angels (2005)

Calling All Angels é aquela música que pode passar despercebida por aí, mas quando você ouve, você já sente a porrada na cara. Pois é, na playlist da fossa, essa tem que estar presente. “Em qual trilha tava?” Senhora do Destino, quando a Nazaré jogava o povo da escada. Apreciem essa obra de arte:

Eu ouço essa música e lembro das pseudo desilusões amorosas que eu tinha lá nos meus 11 anos… Era feliz e não sabia.

I’ll be Waiting (2008)

Mais um tiro que Lenny nos deu, I’ll be Waiting faz parte do álbum “It is Time for a Love Revolution”. Essa é um verdadeiro tapão ardido na alma, no espírito, no perispírito… Enfim, IBW é sobre um amor não correspondido e que, não importa quanto tempo for preciso, Lenny estará lá, esperando. Um homem desses cantando uma música dessas é PRAMATÁ, né non?

Um hino é um hino, né mesmo amores?

The Chamber (2014)

The Chamber é o principal single do álbum mais recente do Lenny, Strut. A música tem uma pegada bem anos 80 e é super gostosinha. Mais uma canção sobre desilusão amorosa (oi Lenny, tá tudo bem? Senta aqui, vamos conversar). Quando você perceber, já vai estar balançando a cabecinha de um lado pro outro.

O clipe deve ter sido, sem dúvidas, um dos mais sexies de 2014, porque, rapaz… Não é de Deus um negócio desses.

QUANDO EU ME RECUPERAR, EU CONTINUO ESCREVENDO.

~~Minutos depois~~

Enfim, mores, como eu disse no comecinho do post, além de uma carreira brilhante na música, o gato ainda atacou de ator . Pra quem não se ligou, o man magia (ele já não tem idade pra ser chamado de boy, né? Sejamos coerentes) esteve em Jogos Vorazes e Em Chamas, além de ter participado de “Preciosa: Uma História de Esperança” e “O Mordomo da Casa Branca”.

Sobre Hunger Games, Lenny interpretou Cinna, o estilista gostoso muito sagaz da Katniss. Foi uma surpresa muito boa quando descobri que ele interpretaria um dos meus personagens favoritos da série e, sendo bem sincera, ele superou todas as expectativas de Cinna que eu tinha. Ficou melhor do que eu tinha imaginado e eu juro que não to falando porque gosto dele. Fora aquele delineador dourado baphônico (quero, inclusive), marca registrada da personagem. Amei, adorei e achei tudo, sim.

Nunca vou superar #CinnaDeservedBetter

Bom, o que mais eu posso dizer sobre o Lenny, além de lindo, maravilhoso, perfeito? Ele é um artista completo. Canta, compõe, toca todos os instrumentos, produz, decora, atua… Enfim, morrer de fome, nunca. Mas, mais do que isso, Lenny tem músicas que transmitem mensagens de amor, esperança, fé no futuro e é o tipo de artista que vive intensamente sua arte, que valoriza suas raízes. Por essas e outras, merece o selo “Homão da PORRA”.

Enfim, eu vou ficando por aqui, curtindo o som desse gênio. Espero que tenham curtido e, se não, paciência. Depois vem mais indicações. Sugestões são sempre muito bem vindas!

Até a próxima, galeris!

Um beijo grande,

Laris 😉

Aqui, uma playlistinha linda no spotify pra vocês. Enjoy 🙂

Comments

comments

You Might Also Like

No Comments

Comente