Contos e Crônicas

A culpa não foi minha

Eu fui teimosa por muito tempo até aceitar que você sempre me deixou só. Que sempre saía com seus amigos e me deixava em casa, mas quando era eu quem ia sair, você não gostava. Já contou quantas vezes marcou algo comigo e minutos antes da hora que deveria chegar, ligou para cancelar porque precisava fazer outra coisa? Já se perguntou se é normal sair com os amigos, todos em casais, tendo uma namorada que você preferiu deixar em casa?

Eu me pergunto onde foi que achei existir amor. Quando paro para pensar agora, só vejo alguém que sentia vergonha do relacionamento que teve e preferia viver sozinho, mesmo quando precisava de companhia. Foi por medo? Porque se foi, eu até entendo. É óbvio que às vezes sentimos medo de coisas novas, mas você me deixou caminhar sozinha em uma relação que deveria ser via de mão dupla, sem nem me pedir para ir um pouco mais devagar para que você pudesse me acompanhar.

Eu te ajudei nas barras que você enfrentou ao longo do tempo, quando todos os seus amigos te abandonaram porque tinham coisa melhor para fazer. E sabe o que recebi em troca? Suas costas. Porque você as virou para mim quando fui eu quem precisei de ti. E doeu. Doeu porque fui eu quem ficou ao lado, embora você nem tenha se importado de tentar fazer o seu papel de namorado. Chega até ser engraçado. Eu vi todos os sinais de que precisava ir embora, eu vi minhas lágrimas descerem, pouco a pouco, todas às noites, dizendo que havia acabado. Eu não aceitava! Eu te amava demais para conseguir te deixar. Eu sabia que partir doeria menos, mas existia uma parte de mim que, mesmo completamente machucada e desgastada, ainda não havia desistido de você.

Mas com o tempo, até esse restinho de você que havia em mim, cansou de te defender.

Eu lutei até quando achei impossível aguentar. Lembro de ter me apaixonado por alguém que era presente e sempre foi um cara decente que me fazia sorrir à toa sempre. O tempo mudou você para alguém que eu não quero mais ter por perto. Eu te procurei. Procurei nas lembranças, em cada cantinho existente na minha memória e no meu coração, mas você não estava mais lá. Não era mais o mesmo. Não deixei de te amar, só passei a enxergar que eu preciso me amar mais. Não dá mais. Não assim. Não para mim. Desculpe ir embora! Mas já era a hora, não dá mais para segurar tudo sozinha. Foi você quem quis assim, a culpa não foi minha.

Comments

comments

You Might Also Like

No Comments

Comente