Pensamentos

Breve descrição quase fisiológica sobre o amor. Ah…. O amor…!

Amor é coisa do coração. Ele chega de mansinho, estala no nodo sinoatrial e já se desvia pro atrioventricular. Invade o miocárdio num impulso elétrico intenso que dá vida e coragem. Talvez por isso tantos autores já escreveram suas frases metaforizadas sobre seu significado. Fato é que sempre esteve lá dentro da gente mas o amor que é nosso é de outro. O amor tá dentro do outro…. E quando você acha, agarra e tenta nunca mais soltar. Por isso os beijos apaixonados e a vontade de nunca mais sair dos seus braços. Por isso as inúmeras surpresas que fazem doer orbicular da boca, masseter e bucinador (de tanto sorrir). Por isso essa dedicação, esse carinho, essa proposta de estar sempre na vida um do outro. Por isso a necessidade de ser família.

Amor é coisa do coração. A gente fica meio bobo e sorri demais pra compensar a taquicardia; as borboletas fazem festa no seu estômago e todas as dores passam. É anestesia direta no peito, de uso tópico, oral, parenteral. Analgésico que inibe a via da dor por causa de tanta noradrenalina que é expressa diante de si próprio.
Olha pro outro e se veja no reflexo do olhar como o desejo de plenitude que sempre aguardou. Relaxe seus braços e corpos e se jogue diante de um abismo sem fim no qual sempre irá se lembrar. A queda pode ser maior que imagina e eu garanto algumas boas risadas entre nossas mãos atadas.
Vamos criando uma vida e deixando nosso organismo mover-se só. Vamos sorrindo e brincando de surpresa. Vamos aniversariando e comemorando a vinda de um pro outro. Vamos seguindo amando.
E vamos então criando tantas palavras que sugerem esse nosso sentimento dentro do outro pra invasão eterna. Quando o “eu te amo” se torna pouco, os pensamentos é que coordenam os atos pra se demonstrar tamanha coisa. Do coração.

Comments

comments

You Might Also Like

No Comments