Grazi Livros/Frases

RESENHA: Minha Vida (não tão) Perfeita

Sempre fui uma leitora ávida – sempre significa desde os meus 16 anos –, mas nunca me arrisquei em fazer resenha. Nunca achei que eu tinha jeito pra isso. Mas assim como Stephenie Meyer despertou em mim o amor pela leitura, a Sophie Kinsella me trouxe uma vontade imensa de falar sobre os livros que leio – principalmente os livros dela, que são de mulheres fortes para mulheres fortes. Dividir com as pessoas e divulgar o trabalho tanto dela, como de outros escritores.

A minha vontade também, é que as pessoas se interessem pela leitura ao descobrir um livro favorito, e isso pode acontecer através da curiosidade de uma resenha. Certa vez ouvi a frase “não há quem não goste de ler, só quem ainda não descobriu seu livro preferido”, ou algo do tipo. Então aqui começo minha primeira resenha, justamente com minha autora preferida atualmente: Sophie Kinsella e o livro Minha Vida não tão Perfeita.

Título: Minha Vida (Não Tão) Perfeita
Autor: Sophie Kinsella
Editora: Record
Número de Páginas: 406
Ano de Publicação: 2017
Compre aqui: Americanas, Saraiva, Submarino

RESUMO: Dramas, confusões e uma boa dose de amor são os ingredientes do novo romance de Sophie Kinsella. Uma divertida crítica aos julgamentos errados que uma boa foto no Instagram pode gerar. Cat Brenner tem uma vida perfeita mora num flat em Londres, tem um emprego glamoroso e um perfil supercool no Instagram. Ah, ok… Não é bem assim… Seu flat tem um quarto minúsculo sem espaço nem para guarda-roupa , seu trabalho numa agência de publicidade é burocrático e chato, e a vida que compartilha no Instagram não reflete exatamente a realidade. E seu nome verdadeiro nem é Cat, é Katie. Mas um dia seus sonhos se tornarão realidade.

Bom, é nisso que ela acredita até que, de repente, sua vida não tão perfeita desmorona. Demeter, sua chefe bem-sucedida, a demite. Tudo o que Katie sempre sonhou vai por água abaixo, e ela resolve dar um tempo na casa da família, em Somerset. Em sua cidadezinha natal, ela decide ajudar o pai e a madrasta com a nova empreitada do casal: os dois planejam transformar a fazenda da família em um glamping, uma espécie de camping de luxo e estão muito empolgados com o novo negócio, mas não sabem muito bem por onde começar. E não é justamente lá que o destino coloca Katie e sua ex-chefe cara a cara de novo? Demeter e a família vão passar as férias no glamping, e Katie tem a chance de, enfim, colocar aquela megera no seu devido lugar.

Mas será que ela deve mesmo se vingar da pessoa que arruinou sua vida? Ou apenas tentar recuperar seu emprego? Demeter – a executiva que tem tudo a seus pés – possui mesmo uma vida tão perfeita, ou quem sabe, as duas têm mais em comum do que imaginam? Por que, pensando bem, o que há de errado em não ter uma vida (não tão) perfeita assim?

Sabe aquelas vidas perfeitas que são mostradas no instagram? Um espaço em que todo mundo parece ser muito feliz, viajado, culto, que come sashimi em todas as refeições e bebem toda a carta de vinho como se fosse água? Bom, é basicamente em torno dessa temática que a história do livro é construída.

Mas não me entenda mal, em nenhum momento a história se torna moralista ou julgadora de quem se mascara através de situações no instagram. A autora se foca em dizer que há muito mais vida do que aquilo que queremos mostrar e que a vida real pode ser bem diferente.

Katie resolve se apresentar como Cat, por ser mais descolado do que seu nome real, ao mudar-se do interior para Londres – seu sonho – para trabalhar em uma agência de publicidade. Ela vive compartilhando sua vida perfeita no Instagram, com fotos de bistrôs, refeições caras e paisagens incríveis, mostrando como sua vida é incrível. Mas tudo muda quando Cat é demitida e precisa voltar para o interior e viver com seu pai.

A trama não é cheia de dramas e a Sophie não se prende demais nas confusões em que a personagem principal se mete. Os conflitos são resolvidos rapidamente, dando espaço para outros aspectos da história se desenvolverem, como a vida amorosa da protagonista ou seu grande talento não descoberto na empresa em que trabalhava.

Acho que finalmente descobri como me sentir bem em relação à vida. Sempre que vir alguém muito feliz, lembre-se: essa pessoa também tem seus momentos não tão perfeitos. Claro que tem. E sempre que você vir sua própria situação não tão perfeita, se sentir desesperado e pensar ‘minha vida é isso?’, lembre-se: não é. Todo mundo tem um lado brilhante, ainda que seja difícil de encontrar, às vezes.

O livro é muito mais que romance e confusões, é sobre descobertas pessoais, aceitação, crescimento e caráter. Sem contar que as coisas não acontecem de forma tão óbvia e a autora sempre complementa um elemento ao que o leitor acreditou que já sabia.

A mensagem que a Sophie passa é incrível: nunca tente ser alguém que você não é, nunca suponha que a vida de alguém é muito melhor do que a sua apenas levando em conta posts de redes sociais. Afinal de contas, apesar de querermos mostrar o nosso melhor, a verdade é que todos nós temos problemas e a vida de ninguém é assim tão perfeita!

Li o livro em um dia e meio, isso porque me segurei muito para não engoli-lo de uma vez, já que, apesar de ser um livro de mais de 400 páginas, a escrita da Sophie é muito fluida, leve e fácil. Terminei minha leitura com uma sensação de que eu sou muito maior e de que posso além do que imagino. Nós somos mais do que as pessoas acreditam e sempre podemos superar as expectativas. Somos nós quem determinamos do que somos capazes e, se fizermos as escolhas certas, a vida nos dará uma chance.

PS: como nem tudo são flores, achei o preço do livro bem salgado. Quando comprei o meu na livraria Saraiva, foi R$ 42,00 e todos os livros da Sophie são bem caros, chegando até quase R$ 60,00.

Créditos da foto: Diário de Incentivo à Leitura

Comments

comments

You Might Also Like

4 Comments

  • Reply
    chelmotta
    20 de julho de 2017 at 10:08

    Grazi, parabéns por se arriscar em sua primeira resenha. E você se saiu muito bem! Eu também ainda não conheço a escrita da Sophie, mas você plantou a sementinha da curiosidade e a trama parece ser bem interessante. Quero ler outras resenhas. beijinhos

    • Grazielle
      Reply
      Grazielle
      20 de julho de 2017 at 11:10

      Aaaaain Chel, brigada!
      Toda boba eu com esses comentários.
      Espero estar indo no caminho certo e que quando crescer seja igual você!
      LEIA A SOPHIE!!!!
      ❤️❤️❤️

  • Regiane Medeiros
    Reply
    Regiane Medeiros
    20 de julho de 2017 at 09:28

    Olá!!! Grazi, amei sua resenha. Confesso que nunca li nada da Sophie, apesar de conhecer bem a temática que ela aborda em seus textos, sempre com esse toque de leveza, ainda que o conteúdo seja sério! Continue assim, sendo honesta sobre o que sentiu ao ler, isso com certeza vai levar muitas pessoas a lerem também! Beijo, beijo!!!!

    • Grazielle
      Reply
      Grazielle
      20 de julho de 2017 at 09:34

      Nem acredito que a RAINHA me avaliou!!!
      Muito obrigada, Gi. Sua opinião é muito importante pra mim, porque tô sempre se olho nas suas resenhas!
      ❤️❤️❤️

    Comente