Grazi Superação

Auto-piedade é um vício

Na segunda-feira da semana passada, surgiu uma frase na minha cabeça: auto-piedade é um vício.

Olhei pra dentro.
Pra dentro de mim mesma, sabe?
Poxa, olha quanto tempo e coisas eu deixar passar da minha vida, desde que me mudei para o Rio – só para não ir mais longe e não dizer “desde que me formei”- , sentindo pena de mim mesma.

Pena porque eu não estava com a minha família,
Pena porque não estava vendo meu gatinho crescer,
Pena porque eu não tenho amigos aqui,
Pena porque essa cama não tão boa como a lá de casa.

Mas eu esqueci de olhar o que eu vivi e não soube apreciar, porque eu estava ocupada demais me afogando na minha auto-piedade.
Eu comi comidas maravilhosas e fiz passeios incríveis e paradisíacos,
Comprei e li livros incríveis,
Vivi o amor do jeito mais lindo desse mundo,
Entrei para alguns blogs – minha paixão – e conheci tanta gente bacana, que segurou a minha mão,
E que me fez enxergar que eu não estava vivendo por puro medo.

Por que eu, ou você, precisamos sentir pena de nós mesmos, quando temos tantas possibilidades e tantas coisas boas para viver e contar por aí?
Eu não consigo entender.
Hoje, não consigo entender essa nossa mania de almejar atingir a perfeição inalcançável dos nossos sonhos,
De querer sempre mais,
Mas um mais do impossível, aquele que nos martiriza e nos faz mal,
Faz com que sintamos pena de nós mesmos e nossa “vida infeliz”.

Em nenhum momento estou dizendo para que você se contente com o que tem, quando seu sonho é alto e grande,
Peço para que você viva um dia de cada vez, até chegar lá.

Se tem uma coisa que eu aprendi nesses quase quatro meses morando fora,
É que perfeição não existe,
E que o que nos suga, é a idealização do que os filmes e as séries,
E por que não, instagram de digitais influencers, minam nossas mentes sobre como a vida deve ser.
Só que a vida real é bem diferente dessas idealizações.

Nessa vida aqui, o amor está na imperfeição,
Nas coisas pequenas do dia-a-dia,
Na liberdade de olhar para si mesmo e recomeçar,
Na beleza de enxergar que ter pena de si mesmo, nunca vai te tirar do lugar frio e escuro que você habita agora.

Com a auto-piedade é assim: quanto mais pena você sente de si mesmo, mais você quer sentir e mais você precisa que os outros sintam.
É um vício mesmo, assim como jogos, assim como a cocaína.
Se você não conseguir abrir seus olhos a tempo, para as coisas incríveis da vida, além da sua vida idealizada miserável, você vai perder pessoas, possibilidades e, o pior, seu amor-próprio.

E, assim como qualquer vício, quando você resolver acordar, pode ser tarde demais, e é por isso que esse texto veio na minha mente, bem do nada.
Para tentar te ajudar a olhar para dentro, eliminar o vício e te ensinar a amar cada pequeno detalhe ao seu redor e em você.
E pra te lembrar: a imperfeição é bela também!

Comments

comments

You Might Also Like

No Comments

Comente