Contos e Crônicas

Morena, não fode comigo!

Ouça enquanto lê:

Vi tantos amores se esfarelando diante dos meus olhos que aprendi a dar a devida importância a alguns momentos tão simples que às vezes passam despercebidos diante dos nossos olhos. E eu assisti ao seu amor sendo destruído assim como tantos outros amores meus. E eu sei que dói, sei que molda quem somos. E a vontade eminente era de te abraçar, te pegar no colo e dizer que tudo vai passar, afinal sempre passa! Todo mundo acaba sendo substituível infelizmente, o bom é que aprendemos a amar mais a nos mesmos quando nossas expectativas nos outros nos traem, quando somos magoados tão profundamente pelos nossos sonhos. Costuma demorar a passar sim, eu sei, mas se precisar de mim, vou estar aqui! Se houver a necessidade você bem sabe que sempre terá o meu abraço, para que você possa tentar se encontrar nessa bagunça assustadora dentro de você. E acredite, eu sei bem como é! Só não deixe que o tempo acelere demais, por que eu continuo aqui ouvindo você dizer que tem os seus trocentos receios pessoais, mas eu não sou o teu passado, eu não sou os teus fantasmas, e se você tem medo de amar, você tem coragem de que?

Meu amor, o tempo nos obriga a partir, pegue suas malas e aceite que o teu coração não mais pertence a ele. Você fez tudo o que pode, e eu faço tudo o que posso do lado de cá, vamos fazer acontecer certo dessa vez! Não importa a nossa urgência, não importa os tantos planos que ficaram para trás, a gente pode se ajeitar bem aqui, debaixo das laranjeiras do parque nesse sol de verão, e prometer jamais sabotarmos o amor dessa maneira. Não me importa onde seus pés estejam ancorados ou qual seu ascendente astrológico, somos nós que faremos acontecer! Olhe nos meus olhos e veja com qual intensidade e autoridade lhe entrego o meu amor. E eu sei que às vezes as coisas parecem impossíveis, mas elas só podem existir a partir do momento que você começa a acreditá-las, a inventá-las na sua cabeça. Te peço que me dê a única chance de te mostrar que tudo aquilo que você arquiteta na cabeça sobre o amor é passível de realidade ao meu lado, me permita!

Você me deu aquele último abraço apertado e pegou teu caminho incerto para longe daqui. Espero que no horizonte você esteja vendo, onde quer que esteja agora, o mesmo sol se pondo que eu vejo, e sinta que eu penso em você em todas as noites enluaradas. E quando o céu beijar o mar eu espero que você se lembre de mim, do efêmero nós que você deixou para trás. E o que fazer quando a saudade é tão gigantesca que não cabe mais em lugar algum dentro de nós? Vou começar a vender pequenas porções por ai, talvez alguém careça desse tanto de sentimento que transborda por aqui. Você me causa avalanches de suspiros com dúzias de flashbacks! É irreal acreditar que te dou todo o amor que tenho e ainda assim ele não parece o suficiente para que você fique. Eu falei sobre você em cada bar que aterrissei, para cada bêbado que encontrei, aos quatro cantos que viajei. Aonde quer que o vento pudesse levar as minhas palavras acabou por levar você junto também. E quando todos se cansaram eu procurei um bom psicólogo, só para poder ter alguém para comentar sobre quem era você no meu mundo. E ele apenas confirmou o óbvio, de que você era peso demais no meu peito já tão cheio de nostalgias.

Olha, morena. Eu não sei como isso vai terminar. Mas o céu lá fora está lindo! Você aceitaria um café, uma serenata e um abraço? É tudo que posso te oferecer para que fique desta vez. Você precisa entender que isso tudo vale ouro! Se daqui a alguns anos estivermos sentados na areia da praia, olhando o por do sol no infinito do mar, quero que você aperte forte a minha mão e me lembre de que valeram a pena todas as noites em claro. Eu não sou de desistir fácil, eu não sou de esquecer promessas, eu não sou de magoar as pessoas. Aquele nosso Doritos que compramos na semana passada e não terminamos ainda está na minha despensa, e toda vez que eu o vejo não consigo terminá-lo, me lembra tanto de você! E por lembrar tanto, também não consigo jogá-lo fora, me faz imaginar, o que mais me faria lembrar de ti? Você entrou tão sorridente na minha casa, na minha vida, disse sorrindo que a lâmpada da cozinha estava queimada, e depois olhou fundo nos meus olhos depois de um longo beijo. Eu ainda me encho de alegria de lembrar o cheiro tão único dos seus cachos na minha camisa. Eu troquei a lâmpada para que você pudesse fazer um dos seus comentários sarcásticos sobre mim, sobre quão obediente eu costumo ser aos seus pedidos tão involuntários. E o tempo continua rolando pelo calendário, e você nunca mais apareceu por aqui.

Comments

comments

You Might Also Like

No Comments

Comente