Desenvolvimento Pessoal

Se perder para se reencontrar melhor

Estou perdida dentro de mim mesma. Eu ouço somente o vácuo das minhas palavras. Ninguém consegue entender o que se passa dentro de mim. Nem eu mesma consigo me entender algumas vezes. A um devaneio dentro das pessoas. Me chamam de maluca, porém doidas são elas por não acreditarem nas coisas simples da vida.

Eu estou perdida por viver em um mundo, em uma sociedade desiludida, que não acredita. Estou perdida porque a reciprocidade foi esquecida por nós pobres mortais. A vida ficou sem cor. É um imenso preto e branco. É um cinza triste. Uma vida sem cor, uma sociedade sem amor.
Eu acredito que possa me encontrar. Que possa ver cor nesse preto e branco que a vida ser tornou. Que possa ver uma sociedade se entregando novamente ao amor. Que doce ilusão. É um sonho impossível a tantos olhos. O que me resta, o que te resta, o que nos resta é levar ao menos um pouco de cor, um pouco de amor quem sabe assim acabe um pouco desse tanto de desamor.
A vida anda sendo difícil. Esse vácuo enorme de não conseguir ouvir o que falam. Só conseguimos ouvir o que queremos e quando queremos. A surdez parece ter dominado as pessoas, ou será se foi apenas as palavras que ficaram baixas e vazias?
Promessas falsas, palavras vagas.
Não quero um mundo falso, uma liberdade vazia. O que eu desejo não tem nome, sobrenome e nem antônimo. E se me achar estranho pelo meus devaneios, por favor, me respeite, eu também depois de muito tempo aprendi a me respeitar e me amar pelas malucas ideias que se passam em minha cabeça.
Não tenho medo do novo, do inesperado, do surpreendente, do impensado, do imprevisível. Eu tenho medo de não conseguir me entregar a coisas novas e um dia me arrepender das palavras não escritas, dos pensamentos não ditos, dos acontecimentos não vividos.
Já dizia Clarice Lispector: “…Que minha solidão me sirva de companhia.
que eu tenha a coragem de me enfrentar.
que eu saiba ficar com o nada
e mesmo assim me sentir
como se estivesse plena de tudo.”

Isso resume tudo. Não exatamente tudo. Mas que o meu silêncio me sirva de conforto e de muita coragem para enfrentar o desconhecido, para amar, para perdoar. Para levar cor a vida cinza. Para levar amor a esse mundo que desconhece o sentindo dessa palavra tão bonita. Que desconhece que amor é mais do que uma palavra, é um sentimento, é talvez todas as definições de afeto.
É amar e ser amado o grande prazer da vida. Eu me encontrei quando soube que podia está perdida, e que sempre saberia me encontrar seja em uma música, um filme, ou uma pessoa. Eu sempre me encontraria quando quisesse. Mas por enquanto acho que estar perdida é bom, a gente sempre se encontra em cada esquina de uma forma diferente. É saber se amar a cada vez que se encontrar. É saber amar. É saber levar o infinito dentro de si. É saber se perder para se reencontrar cada vez melhor.

Comments

comments

You Might Also Like

No Comments

Comente