Contos e Crônicas

Necessidades da vida

É preciso dar o primeiro passo,
É preciso continuar a caminhada,
É preciso não desistir,
É preciso levantar a cabeça e seguir.

É preciso arrancar o band aid da ferida,
É preciso deixar a ferida sangrar,
É preciso limpar o sangue,
É preciso sentir a dor,
É preciso deixar o tempo cicatrizar.

É preciso ultrapassar a superfície,
É preciso transcender a aparência,
É preciso mergulhar na essência,
É preciso abandonar a hipocrisia,
É preciso ir além e penetrar a alma.

É preciso olhar para o outro,
É preciso sorrir para a vida,
É preciso abraçar as pessoas,
É preciso ter humanidade.

 

Este poema é uma releitura da obra “Poema da necessidade” de Carlos Drummond de Andrade.

Comments

comments

You Might Also Like

No Comments

Comente