Contos e Crônicas

Uma carta para a minha amiga de alma

Oi, amiga.


Escolher sermos amigas foi fácil, já que nossas almas parecem estar ligadas uma à outra. Calma, vou explicar. Não é fácil encontrar alguém que pense, de certa forma, igual a você, sabe? Que tenha o mesmo jeito, que falhe, muitas vezes, no mesmo ponto. Somos duas garotas que não se importam de ter que esperar muito por um amor verdadeiro, por exemplo, porque acreditamos que ele tem que tocar na alma e arrepiar cada fio de cabelo do nosso corpo. Se não for assim, não adianta. A música move nossa vida, torna cada dia complicado, melhor. Torna tudo mais suave e fácil de absorver, sabe? Deixa um mundo melhor de algum jeito.

Temos o hábito de se manter distante – mesmo quando presente – sempre que não estamos bem. Parece que para se recuperar, precisamos estar longe. Do mundo, das pessoas, de tudo. Precisamos recarregar todas as forças antes de voltar e mostrar que continuamos firme. Nosso signo diz muita da gente, sabe? Não só pela indecisão que carregamos – infelizmente – todo o tempo. Mas porque precisamos nos sentir livres. Gostamos de tomar nossas decisões sem que ninguém interfira nelas. Gostamos de formar nossa opinião sem que ninguém venha dizer que estamos erradas. Gostamos de ser assim, nós mesmas, transparentes e bem loucas às vezes, o tempo todo. Somos o que somos, e ninguém tem nada a ver com isso, não é? De todas as qualidades que temos, o fato de sermos originais em tudo, mesmo quando é difícil tirar uma ideia mínima para algo, é a maior de todas. Nos torna únicas.

Sabe, nós tentamos esconder nossas fraquezas e angústias na maioria das vezes, a gente tem medo de que as pessoas a usem para nos atingir de volta. E isso não nos faz covardes, permite que tenhamos a oportunidade de, de algum modo, encontrar um meio de melhorar – sempre sozinhas. Um lobo solitário geralmente uiva por se sentir só. A gente tem a mania de sorrir pros outros e chorar sozinhas. É algo nosso, sabe? É nosso jeito de uivar pro mundo e dizer que, nem sempre, tudo está bem.

Algumas amizades dão certo porque os envolvidos são opostos. Outras, dão certo porque as pessoas têm gostos parecidos. Nós não temos gostos parecidos, mas temos uma alma igual. Independente do tempo que exista, é como se eu me sentisse, de algum jeito, conectada à você todo o tempo. Um coração gigante e bom demais para o mundo conhecer. Um jeito doce que mantém todos por perto. Um jeito doce de cuidar de tudo ao redor. Somos pessoas feitas de amor – uma pela outra e também pelo mundo. E quem olha assim pra gente, não imagina que caímos com facilidade, mas levantamos com rapidez. Quem olha assim pra gente, não imagina o quanto, por dentro, nossa alma é repleta de cores – como se fosse um arco-íris – que leva um pouquinho de luz, amor e vida para todos que conhecem ao longo do caminho. A gente consegue se completar e se entender porque nossas cores tem o mesmo tom e nossas almas são gêmeas. Obrigada por me entender facilmente – librianos não entendem tão fácil assim. Obrigada por estar presente – mesmo que a distância prevaleça aqui. E obrigada por ser o meu anjo – aquele que eu sei que me levantará caso um dia eu chegue a cair.


Obrigada por ser minha amiga não só da vida, mas de alma, e por dividir o peso desse mundo louco comigo.

Obrigada, simplesmente, por estar aqui.

E, não esqueça nunca que existe uma força dentro de você que não permite, nunca, que nada ou ninguém te machuque. Essa força é o afeto, o carinho, o cuidado e amor que eu tenho por ti.

E quando eu não estiver aqui, repita nos seus pensamos:

“Vá em frente e tente me derrubar, eu vou me levantar do chão, como um arranha-céu.”

Comments

comments

You Might Also Like

No Comments

Comente