All Posts By

Clara Borges

Contos e Crônicas

Hoje eu decidi ser diferente

Hoje eu decidi fazer diferente. Hoje eu acordei e não fiquei enrolando na cama, eu não deixei o dia simplesmente passar sem fazer nada, eu não deixei a preguiça me dominar. Hoje eu decidi fazer diferente. Acordei, espreguicei-me um pouco e me levantei. Analisei meu quarto e me analisei e percebi o quanto ambos estavam uma bagunça, como se fossem o reflexo um do outro. Após me levantar e analisar tudo, comecei por partes.

Encarei-me no espelho e disse a mim mesma que hoje ia ser diferente, que, a partir de hoje, tudo ia ser diferente. Os meus pensamentos agora estão sob meu controle e não ao contrário. Não permito mais que vibrações negativas tomem conta de mim. Dessa vez, eu estou no comando.

Depois de ter feito um discurso olhando no reflexo dos meus próprios olhos, comecei a arrumar uma das bagunças que existiam em minha vida, a bagunça externa, o meu quarto.

Liguei o som no volume máximo. Cantei de um jeito que não fazia há muito tempo, como se estivesse em minha própria turnê. Extravasei-me. Libertei tudo que estava preso dentro de mim, tudo que me sufocava e apertava o meu peito. Permiti-me escutar os mais variados estilos musicais. Pop, sertanejo, funk, samba. E dancei. Dancei até não aguentar mais. Quem me visse, com certeza, pensaria que estava louca, mas e daí? Permiti-me ser eu mesma em todos os estados. Eu simplesmente me libertei para a vida.

Fiz uma limpeza em meu guarda-roupa. Fiz uma sacola de roupas que não me serviam mais e resolvi mandar para a doação. Encontrei peças as quais achei que haviam sumido, mas que estavam apenas emboladas numa pilha em cima da cadeira. Experimentei diversos looks, como se estivesse em um desfile. Desfiz-me de objetos que, por muito tempo, fiz questão de guardar, mas que agora não passavam de tralhas ocupando espaço. Arrumei minha estante de livros e separei os meus preferidos para reler no quintal enquanto tomaria sol.

Limpei o espelho que estava imundo e confesso que também me admirei. Admirei cada traço meu, cada pinta, cada curva, cada detalhe. Admirei meu cabelo bagunçado, minha sobrancelha não tão bem feita, meus vestígios de olheiras. Admirei meu corpo da cabeça aos pés e, apesar de tudo, coloquei minha autoestima lá em cima, no topo. E sabe por quê? Porque eu sou sim, um mulherão. Porque eu sou sim, uma guerreira e vitoriosa por acordar todos os dias e ir à luta, a constante luta com os obstáculos da vida.

Recolhi todos os lixos que estavam por cima da cômoda, do criado e no chão. Varri toda poeira para bem longe do meu quarto e do meu interior. Pendurei meus desenhos na parede e recoloquei meu filtro dos sonhos na janela. Voltei a sonhar. Parei de me regrar excessivamente. Parei de me proibir. Parei de me impor um estilo de vida extremamente adulto. Eu não preciso me pressionar tanto, eu não preciso cobrar tanto de mim. Eu não preciso seguir padrões ou rótulos. A única coisa que eu realmente preciso é ser eu mesma, estar em sincronia com o meu interior.

Coloquei cada coisa no seu lugar, lembrando sempre que eu estou no topo, seja das minhas prioridades, seja da minha autoestima. Tudo começa por mim. A energia que o Universo me transmite é a mesma que eu emito. Eu sou o centro, o início e o fim, seja do meu dia ou da minha vida. O poder de transformar as coisas é sempre meu.  E, a partir de hoje, nada vai ser igual porque eu decidi ser diferente.

Contos e Crônicas Superação

Não esqueça, supere

 

Há algum tempo escrevi algo assim: “Esquecer não é a melhor decisão. Não devemos esquecer nada, nem as boas lembranças nem as ruins. Querendo ou não, nosso passado nos ajudou a ser quem somos. O essencial é superar. Porque, se você supera, não precisa esquecer, você pode lembrar porque aquilo não te afeta mais.” Mas, mesmo essas palavras tendo saído de mim, eu mesma não compreendia muito bem como fazer isso, talvez até hoje não compreenda totalmente, apenas saiba lidar melhor com as situações da vida.

Esquecimento. Você já se deu conta de que todo esse foco para esquecer algo é justamente o que te faz lembrar? Aliás, é possível forçar o esquecimento? Não. Com certeza, não de maneira saudável. As pessoas falam tanto de como gostariam de esquecer isso e aquilo e ironicamente se esquecem do quão triste é o esquecimento propriamente dito. Não ponderam a tristeza que é quando isso acontece por consequência de uma doença. Não levam em conta que suas lembranças são sua maior certeza, sejam elas como forem.

Uma vez, quando eu era pequena, lembro-me de ter dito aos meus pais que eu queria poder esquecer tudo, mas não havia me dado conta do que esse “tudo” significava. Eu simplesmente queria uma forma para lidar com a situação e, seguindo o senso comum, achei que o melhor jeito era esquecer. Assustados com o meu desejo, meus pais me pediram para nunca mais dizer aquilo e me explicaram que ele faria com que eu me esquecesse de cada pedacinho da minha vida, e não somente as coisas ruins. Esquecer tudo seria não me lembrar da minha história, da minha família, dos meus amigos e de mim mesma.

Quantas vezes dizemos que queremos esquecer tudo? Quantas vezes desejamos que nossas lembranças se percam? O que é irônico porque, quando nos esquecemos de algo que não queríamos, aquilo nos incomoda, ficamos bitolados tentando lembrar o que era. É incômoda a sensação de “estou esquecendo algo” e ainda assim almejamos o tão famoso esquecimento.

Você pode me dizer que quer esquecer apenas as coisas ruins. Mas já pensou que, se isso acontecer, todo o aprendizado e amadurecimento adquiridos em um momento ruim também se vão? Eu sei que existem lembranças cinzas as quais parecem que nos assombrarão por toda a vida, mas acredite, apesar delas, você pode pintar o mundo com as cores que quiser. E, para fazer isso, basta superar.

Superação. Sinônimo de vitória e triunfo. Triunfo de não ser dominado pela obsessão do esquecimento. Superação. Palavra que carrega consigo o significado de liberdade. Liberdade de deixar algo para trás porque finalmente aquilo foi superado. A superação não está presente apenas na posterioridade do término de um relacionamento. Vai muito além. A vida é uma constante superação, seja de obstáculos, doenças, momentos, términos, medos. Seja o que for, você pode superar.

Eu não posso te dar uma certeza de como ela acontece, pois, acredite, eu mesma tenho muito coisa para superar ainda e confesso não saber como fazer isso. Eu não posso ditar qual caminho você deve percorrer ou quais atitudes deve ter para alcançar a superação porque não existe um roteiro a ser seguido. Cada caso é um caso; cada situação, uma situação; cada pessoa, uma pessoa e cada coração um coração. Não há uma receita universal que te norteie como superar algo, não há ingredientes a serem adquiridos para facilitar o processo.

Apesar de parecer simples, sabemos que é sempre mais fácil falar do que fazer, principalmente quando tal ocorrência não depende somente de nós. Mas, se quer um conselho, não se atormente, não se bitole nem com o esquecimento nem com a superação, quando menos se espera, ela chega. Apesar de complexo, é encantador.  É como abrir asas e voltar a voar depois de muito tempo preso dentro de si mesmo.

Relacionamento

O encanto da reciprocidade

Queria encontrar as melhores palavras para falar de nós, mas me enrolo toda com isso igual me enrolo em teus braços. Braços que me transmitem paz, segurança, felicidade e esperança. Esperança que o mundo ainda é bom, ainda é luz, ainda brilha e reluz. Reluz como os meus olhos quando te vejo, quando somos apenas um, seja num abraço ou num beijo. Beijo que nos coloca no mesmo ritmo, numa mesma sincronia, que desfaz todo o caos e toda agonia.

Agonia presente na tua ausência. Ausência torturante. Mas que é rapidamente dissipada com teu abraço confortante. Mais que isso. Abraço casa. Aliás, quero te trazer para a minha. Quero te mostrar cada cantinho dela e de mim mesma. Quero te mostrar meus escritos, nos quais você é a minha inspiração, um pedacinho deles e meu próprio pedacinho. Pedacinho esse o qual queria guardar num potinho, mas, como melhor decisão, guardei em meu coração.

Coração que você fez vibrar com uma piscadinha, um sorriso gostoso e muita simpatia. Piscadinha de galã, mas não fique convencido, tua simplicidade vale tanto quanto isso. Simplicidade de me conquistar aos poucos, com suas piadas, com seu carinho e com seu jeito bobo. Jeito que se encaixa tão bem com o meu que, mesmo às vezes diferente, realça a melhor parte do meu eu.

É aquela inexplicável conexão, em que somos iguais desde as palavras até ao ritmo da respiração. Palavras com sentimento, daquelas que não são levadas pelo tempo. Tempo a que  peço que esteja do meu lado, para que quando eu estiver contigo, ele pare e, quando estiver longe, ele voe. Voe para que eu te veja logo novamente e assim sejamos transportados para um universo onde só existe a gente.

Talvez nem mesmo no nosso universo eu seja capaz de encontrar as melhores palavras, mas posso começar pela nossa palavra chave. Cheia de significado, repleta de verdade, incrível desde a essência é a nossa reciprocidade.

Pensamentos

Mãe, nosso primeiro amor

95931b3a9ef74c4b00d90e4158b9953d

Mãe,
Você é o meu primeiro amor.
O mais puro,
Mais verdadeiro
E mais intenso.

Mãe,
Você é o meu maior apoio,
A base da minha existência,
A força que me sustenta,
A luz do meu caminho.

Mãe,
Você é a minha maior certeza.
Enquanto você existir,
Jamais estarei sozinha.
Sempre terei morada em seu coração
Não importa aonde eu vá.

Mãe,
Você é pura proteção.
Colo confortante,
Abraço acolhedor
E presença consoladora.

Mãe,
Você é o meu maior exemplo
De guerreira,
Mulher,
Sabedoria,
Humanidade.

Mãe,
Você vale a minha vida toda,
Mas a minha vida sem você
Não tem valor.

Mãe,
Você é mais eu do que eu mesma.
Eu sou um pedaço teu
E você é o meu próprio ser.
Eu vivo em ti
E você vive em mim.
Mais do que sangue do meu sangue
Você é essência da minha essência.

Mãe,
O significado de amor
É tudo o que você é.
E, por ser assim,
Você é tudo no mundo.

Não categorizado

Sem um pedaço do coração

vg

Não sei definir um conceito para a morte, principalmente porque o impacto que ela tem sobre nós é muito maior do que se pode expressar com palavras. Independente da crença ou religião que cada um possui, ela nos golpeia e nos deixa no chão, ou melhor, sem chão. A morte é a certeza da ausência, da saudade e da dor. Mesmo quando temos a consciência de que talvez ela tenha sido a melhor solução, ainda somos afetados por seus efeitos, os quais permanecem presentes ainda que aprendamos a lidar com eles.

Não sei dizer o que a morte é. Não sei se é a vilã ou a mocinha, se é para o mal ou para o bem, se é o fim ou o recomeço, se é o inferno ou a redenção. Não sei se é o pior ou o melhor que se pode acontecer. Apenas sei que ela nos rouba. A morte nos rouba pessoas as quais não conseguimos nos imaginar sem, nos rouba pessoas preciosas, e junto com elas, leva parte do nosso coração.

Talvez por falta de sabedoria, nós que permanecemos vivos, ficamos nos questionando o porquê. Ás vezes ficamos revoltados, outras vezes ficamos perdidos, mas sempre com um buraco no peito. E infelizmente ninguém sabe como fechá-lo, porque talvez isso não seja possível.

Mas dizer que continuaremos sempre com um vazio em nós, não significa que não possamos continuar, que não possamos voltar a sorrir, ou que não possamos lidar com isso. Na medida certa, o luto é saudável, ele nos faz a viver a dor, o que é preciso para consigamos aprender a ser fortes. Devemos deixar que a dor nos ensine a nadar, e não que ela nos afunde. A ausência física de alguém, não destrói a presença espiritual.

Mesmo sendo um ladra ligeira, a morte não consegue nos roubar tudo. Ela não pode e nunca poderá nos tirar os momentos e as lembranças que estão guardados dentro de nós. Quando você ama alguém, fica no seu coração para sempre. Mesmo nos deixando sem chão, a morte não consegue nos tirar um sustento chamado amor. O amor nos faz continuar, o amor mantém a pessoa que se foi, viva dentro de nós e assim podemos viver por ela.

Como alguém que já sofreu algumas perdas, eu venho dizer para você que é possível conviver com a ausência, a saudade e a dor deixadas pela morte, é possível voltar a caminhar mesmo sem ter a certeza de qual rumo seguir.E essas coisas só são possíveis, porque de algum lugar a pessoa que se foi, nos fortalece, se torna a nossa luz guia e cuida de nós e de algum modo conseguimos sentir e ter a certeza disso.

Chore o quanto quiser, mas não se torture com isso, pois é algo que você não pode mudar. Se permita sentir a dor da perda, mas não deixe que isso te domine. Não tenha medo de ser fraco, pois é na sua fraqueza que encontrará sua força. Tente tirar a venda da dor e enxergar que o sol volta a nascer no outro dia, e que como ele, você também pode renascer.

Você não é obrigado a superar isso rapidamente, até porque eu recomendo que tire um tempo para refletir e para encontrar algum jeito de lidar com a situação. Tudo deve acontecer no seu tempo, mas saiba que o seu luto não pode durar para sempre, pois você ainda possui a dádiva da vida e vivê-la é a melhor maneira de homenagear a pessoa falecida.

Enquanto você se lembrar de quem se foi, esse alguém estará vivo neste mundo e no seu coração por meio de suas memórias, quando você se esquecer dele, ele se vai inteiramente e para sempre.